Você já deve ter ouvido muita gente dizer que “antes dos 30 comia de tudo e não engordava”. No primeiro momento, até parece ser uma afirmação sem sentido, já que nessa idade as pessoas ainda são jovens, certo? Mas não se engane, o processo metabólico tende a ficar mais lento a partir dessa etapa da vida, reforçando aquela dificuldade de o corpo perder peso e ganhar massa magra, que se atenuam aos 40.

“Isso ocorre por processos de alterações hormonais, como a diminuição dos hormônios testosterona e GH, em que a estimativa de perda de massa magra existe entre 3 a 8% por década de vida, chamada sarcopenia, que é estimulada por hipotireoidismo, má alimentação com alto consumo calórico e sedentarismo”, adianta a nutricionista Munique Gomes. Diante da gradual alteração biológica, alguns estudos acrescentam que, com o passar dos anos, aumenta a dificuldade para realizar a oxidação das gorduras, sugerindo então o maior acúmulo de gordura no corpo.

Mesmo que também exista a questão lógica da falta de tempo aos 30 anos, por conta dos compromissos com a família e o trabalho intenso, especialistas reforçam a tomada de medidas preventivas, como atividade física regular, voltada para a musculação, redução de carboidratos, principalmente os refinados, e aumento da proteína na dieta, gerando saciedade e termogênese. “Atentar ainda para a boa quantidade de consumo de frutas, verduras, legumes variados e muita água ao longo do dia”, completa Gomes. Na prática, é priorizar a qualidade de vida, tendo em vista o processo de ativação metabólica. Imagina como?

Sua próxima feira
Alguns alimentos são considerados termogênicos, pois têm a capacidade de acelerar o metabolismo. “Podemos citar a canela, o gengibre, o chá verde e o café. Vale ressaltar que esses itens ajudam na queima de gordura, porém, não são milagrosos. Para perder peso, é necessário consumir apenas a quantidade de calorias que o seu corpo precisa, sem exceder”, orienta a nutricionista Aline Gomes.

Ainda de acordo com especialistas, a partir dos 30 anos o organismo não reage tão bem às chamadas dietas milagrosas, por conta da perda frequente de nutrientes. Por isso, nada de se privar para comer a sobremesa preferida ou focar apenas no prato à base de batata-doce e frango. O mix de cores é essencial. Vale investir em alimentos antioxidantes, capazes de proteger células sadias contra os radicais livres, a exemplo dos vegetais escuros, das frutas cítricas, além de castanhas e legumes de tom alaranjado.

Foto: Lehi Henri/ Folha de Pernambuco
>Da Folha de PE
>Via Dep. de Jorn. da Orobó FM, (Eraldo Albuquerque -Orobó; Terça, 17 de Dezembro de 2019 -08h07m)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *