Comida das arábias no Recife

Que a mesa promove um dos mais importantes intercâmbios culturais, isso não se põe em duvida. E nós, do lado ocidental do mundo, nos alumbramos com os aromas e gostos oriundos do outro lado. Especiarias com personalidade forte, cores vivas, cocções completamente fora da rotina de nossas mesas. Hoje, fomos em busca do que a cozinha árabe tem de melhor na Capital pernambucana. Não são muitos exemplares, é verdade, mas já não somos órfãos dos condimentos dessa longínqua e saborosa cozinha.

Se o Oriente Médio, nos últimos anos, tem ganhado destaque nas páginas de jornais com notícias acerca de disputas econômicas e conflitos religiosos, nesta sexta-feira, em Sabores, o cenário muda. Por aqui, caro leitor, falamos hoje sobre uma das maiores riquezas que os povos árabes deixaram para os demais moradores deste mundo, e eu não estou me referindo ao petróleo. Cheia de nuances, a culinária árabe é repleta de cores, aromas e texturas. Cominho, hortelã, cardamomo, pimenta-do-reino, cravo, noz-moscada e canela são alguns dos condimentos colocados nas panelas por aqueles lados. Uma festa de mil e uma noites para o paladar. No Recife, ainda bem, essa gastronomia pode ser encontrada no formato mais tradicional, com ingredientes e cozinheiros para manejá-los vindos direto das arábias, a adaptações descoladas, servidas em bares e até no mais que atual food truck.

Um legítimo libanês
Sari chegou no Brasil há seis anos e, em uma visita turística a Porto de Galinhas, sentiu o coração bater mais forte por Pernambuco. Depois de morar no Paraná, fez as malas e se instalou no Recife, há cinco meses, para uma empreitada desencorajada até pelos pais: abrir um legítimo restaurante com culinária libanesa na Capital pernambucana. Há dois meses em funcionamento, O Libanês é sucesso e o empresário providencia a vinda de mais um chef de cozinha para se juntar aos outros cinco já atuando por aqui. Todos libaneses, ele faz questão, bem como os temperos usados nas preparações, importados da terra natal. O menu da casa, ainda muito simples em aparência (algo que, em breve, Sari garante, vai ser melhorado), é delicioso. Pratos fartos – ideais para compartilhar -, condimentados, potentes em sabor. A coalhada seca é dica certeira. O quibe, imperdível. E o falafel, o melhor já provado por mim pelas bandas de cá. Sem falar das esfirras, feitas com carne de carneiro moída e temperada. A maneira mais rápida de viajar a terras árabes é, de fato, com garfo e faca. Mas nunca testei tapete voador.

Onde: avenida Conselheiro Aguiar, 2677, Boa Viagem.
Informações: 3034.7694.

Conheça algumas comidas

Tabule salada cítrica feita com trigo para quibe, hortelã, canela e outros ingredientes
Babaganoush pasta de berinjela com tahine e limão
Coalhada seca coalhada que é temperada com sal e descansa por 24h
Quibe cru carne de carneiro crua, moída e misturada com trigo para quibe
Falafel bolinho frito de massa de grão-de-bico temperada com cominho e outros condimentos
Homus creme de grão-de-bico e tahine (pasta de gergelim moído)
Charuto folhas de uva recheadas com carne de carneiro moída e arroz

Felipe Ribeiro, da Folha de Pernambuco

Sonia, com 72 anos, ainda cozinha a receita dos pais

Para entrega

Cozinha Árabe
Aos 18 anos, Abrãao Giries chegou ao Recife vindo da Síria e conheceu a libanesa Ilmasa Gibrail, que já estava por aqui desde os 9 anos. Do enlance, veio Sonia que hoje, aos 72 anos, cumpre a função de perpetuar a história dos pais com ajuda das panelas. Ela foi uma das primeiras – senão a primeira – pessoas a fazer da comida árabe um meio de vida por aqui. Desde 1996, os acepipes que aprendeu com a mãe são vendidos por ela, congelados e prontos para serem levados ao forno. Com exceção do tabule e da coalhada seca preparados no dia, estão disponíveis esfirras abertas e fechadas, homus, pão sírio, charutos e outras delícias árabes para prontra entrega. Os valores vão de R$ 5 a R$ 16.
Onde: avenida Antônio de Gois, 292, Pina.
Informações: 3326.3987 ou 8831.9249

Shukran
Livros de receitas libanesas, herdados da avó, guardam o segredo dos produtos da marca, conta Mirella Kyrillos, à frente da Shukran, que significa “obrigada” em libanês. A marca, que criou junto à mãe, Carmem Kyrillos, nasceu há poucos meses para oferecer os itens árabes mais tradicionais no formato congelados. Quibe, charuto de folha de uva, coalhada seca, babaganoush e homus estão no portfólio. Os valores começam em R$ 10 e terminam em R$ 16.

Encomendas: 4114.0234 ou 99538.5809
E-mail: shukran.cozinhaarabe@gmail.com

Para petiscar

Snaubar – Esfirraria e Cervejaria
Difícil encontrar quem desgoste do Snaubar. Despretensioso, com preços simpáticos e comidinhas gostosas, a casa é ótima programação numa sexta à noite para quem curte petiscar e bebericar. No menu, um sem número de esfirras abertas, algumas assinadas por chefs locais, com coberturas que passam pelo regional charque a opções elaboradas com cogumelos. Kafta, coalhada seca, falafel, quibe vegetariano e outros produtinhos viram excelente acompanhamento para a ótima variedade de cervejas especiais do menu.
Onde: rua Doutor Virgílio Costa, 48, Parnamirim. Informações: 3204.5104

Kebabeer
O kebab é uma espécie de churrasco feito, originalmente, com cordeiro. A carne do animal, depois de temperada, é colocada em um espeto giratório e cortada em fatias finas para ser servida com pão e acompanhamentos. A tradicional preparação, no Recife, ganhou espaço descolado para ser degustada: um food truck. Menos ortodoxos, Luiz Paulo Ferraz e Eduardo Jungmann servem também nas versões carne bovina, frango, misto e falafel. O preço varia de acordo com a proteína e vai de R$ 12 a R$ 15. O cliente escolhe entre pão döner (pão sírio) ou dürum (pão folha), o tipo de salada e o molho. Cervejas artesanais locais completam o menu.
Onde: rua do Espinheiro, 455, Espinheiro. Informações: 9314.8469

Felipe Ribeiro, da Folha de Pernambuco

Homus é união de creme de grão-de-bico e tahine (pasta de gergelim moído)

Onde mais comer?

Habib’s
www.deliveryhabibs.com.br

Papaya Verde
Rua Santo Elías, 409, Espinheiro.
Informações: 3241.6342
www.restaurantepapayaverde.com

Bar Central
Rua Mamede Simões, 144, lojas 6, 7, 8 e 9, Santo Amaro.
Informações: 3222.7622

>Da Folha de PE 
>Via Dep. de Jorn. da Orobó FM, (Eraldo Albuquerque -Orobó; *Sábado, 05 de Setembro de 2015 -21h11m)


Deprecated: O arquivo Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /home/orobofm/public_html/wp-includes/functions.php on line 5579

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fale Conosco

Share on facebook
Share on whatsapp

Telefones Úteis

  • OROBÓ FM  81 3656 1264
  • ABRIGO SÃO FRANCISCO de ASSIS 81 3656 1594 / 81 9678 7378 (TIM)
  • BANCO do BRASIL  81 3656 1144
  • CÂMARA MUNICIPAL 81 3656 1143
  • CELPE (Companhia Energética de PE) 81 3621 1279 (Carpina)
  • COMPESA (Companhia de Água e Esgoto de PE) 81 3656 1162
  • COMSEF (Comunidade Semeando o Futuro) 81 3656 1399
  • CONSELHO TUTELAR 813656 1206
  • CORREIOS (Empresa de Correios e Telégrafos) 81 3656 1135
  • DETRAN (Departamento Estadual de Trânsito) 81 3638 1194 (Bom Jardim)
  • DELEGACIA (PC) 81 3656 1190
  • DESTACAMENTO (PM) 81 9513 3884
  • ESCOLA ABÍLIO de SOUZA BARBOSA 81 3656 1499
  • ESCOLA PROFESSORA RITA MARIA DA CONCEIÇÃO 81 3656 1578
  • HOSPITAL SEVERINO TÁVORA 81 3656 1124
  • PARÓQUIA NOSSA SENHORA da CONCEIÇÃO 81 3656 1226
  • PREFEITURA 81 3656 1156
  • SECRETARIA de SAÚDE 81 3656 1177