Novo grupo de refugiados venezuelanos chega a Pernambuco

Um novo grupo de refugiados das crises política e econômica que ocorre na Venezuela chegou a Pernambuco. Desta vez, 26 pessoas foram recebidas pela Cáritas Brasileira e pelos serviços de assistência do governo estadual.

Desde julho do ano passado, quando teve início o processo de acolhimento dos estrangeiros, o estado registrou a entrada de 343 pessoas. Desse total, 142 estão no Recife, 148, em Igarassu, na Região Metropolitana, e 53, em Carpina, na Zona da Mata Norte.

A crise na Venezuela se agravou no início de 2019, com o conflito entre os grupos ligados ao presidente Nicolás Maduro e o autoproclamado governante interino, Juan Guaidó.

Em 30 de abril, houve confrontos nas ruas e cinco pessoas morreram, de acordo com a Organização das Nações Unidas. (ONU). No dia 10 de maio, o país anunciou a reabertura da fronteira com o Brasil.

Os venezuelanos desembarcaram na quarta-feira (10) e foram acolhidos, a princípio, na capital pernambucana. Depois, seguiram para Carpina, onde estão residindo, segundo a Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ).

Depois do acolhimento, tem início o processo de identificação das necessidades dos estrangeiros. O governo informou que fica responsável pelo atendimento de saúde, inclusão em escolas para as crianças, estratégias de qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho. Todos, segundo o estado, têm CPF, carteira de trabalho e solicitação de refúgio.

O acolhimento faz parte de um acordo entre Pernambuco e a Secretaria Nacional da Casa Civil e o Comitê Federal de Assistência Emergencial. O governo federal realizou outras etapas de interiorização, levando venezuelanos para as cidades de Cuiabá (MT), Manaus (AM), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP).

O secretário-executivo de Assistência Social do estado, Joelson Rodrigues, informou que 30% dos venezuelanos que chegaram a Pernambuco conseguiram trabalho. Assim, foram abertas novas vagas de acolhimento para outros refugiados.

Acolhimento

primeiro desembarque em Pernambuco aconteceu no dia 3 de julho de 2018, quando 114 venezuelanos chegaram ao Recife. Desses, 69 foram acolhidos pela ONG Aldeias Infantis, em Igarassu, sendo 39 adultos e 30 crianças e adolescentes. Os outros 45 foram encaminhados para João Pessoa (PB).

Em 17 de dezembro, 117 refugiados chegaram ao estado e, desses, 102 foram acolhidos pela Cáritas Brasileira, no Recife, e outros 15 foram às Aldeias Infantis.

No dia 13 de março de 2019, mais 23 venezuelanos chegaram a Pernambuco. Eles saíram de Boa Vista, capital de Roraima.

Em 23 de abril deste ano, Pernambuco recebeu mais 31 imigrantes. As nove famílias que chegaram ao Recife foram acolhidas em Carpina, pela instituição Ação Missionária para Áreas Inóspitas (Amai).

No dia 9 de maio, mais 14 refugiados da Venezuela chegaram ao Recife. O grupo, que saiu de Pacaraima (RR), na fronteira entre o Brasil e a nação vizinha, foi recebido por entidades de defesa dos direitos humanos.

Foto: Marcelo Vidal/ SDSCJ/ Divulgação
>Do G1 PE
>Via Dep. de Jorn. da Orobó FM, (Eraldo Albuquerque -Orobó; Sexta, 12 de Julho de 2019 -17h09m)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>