Missa do Vaqueiro homenageia 30 anos da morte de fundadores na primeira celebração no Recife

O Cais do Sertão, no Centro do Recife, virou palco para uma das celebrações religiosas mais importantes do Sertão de Pernambuco. A Missa do Vaqueiro, tradicionalmente celebrada em Serrita, pela primeira vez foi realizada na capital, em homenagem aos 30 anos da morte de seus fundadores, o cantor Luiz Gonzaga e o padre João Câncio.

Vindos de Serrita, Exu e Floresta, cidades do Sertão pernambucano, 60 vaqueiros foram recebidos com festa. Valmir Calaça saiu de Floresta e disse ter vivido um momento especial no Bairro do Recife.

“Para mim, é um sonho. Sempre que a gente participava, sonhávamos com uma missa aqui na capital. A empolgação é a mesma e, aqui, o simbolismo é maior, porque viemos para a capital pernambucana”, conta o vaqueiro.

Cais do Sertão, no Centro do Recife, recebeu a Missa do Vaqueiro — Foto: Danielle Fonseca/TV Globo

Cais do Sertão, no Centro do Recife,
recebeu a Missa do Vaqueiro
Foto: Danielle Fonseca/ TV Globo

A celebração ocorreu para levar ao Recife os costumes do Sertão da forma mais original possível. A celebração contou com a participação de sertanejos, entre eles músicos do Coral de Aboiadores de Serrita.

O celebrante foi o padre Josenildo Tavares, coordenador da pastoral da Arquidiocese de Olinda e Recife e pároco das Graças, na Zona Norte da capital. Durante a celebração no Recife, recebeu do filho de João Câncio, Thiago, um gibão que foi do pai dele.

João Câncio, então padre, se apaixonou por Helena Câncio e deixou a batina de lado. Para o filho dele, a entrega foi simbólica.

Padre Josenildo celebrou a Missa do Vaqueiro no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Padre Josenildo celebrou a Missa do Vaqueiro no Recife
Foto: Reprodução/ TV Globo

“É um momento muito emocionante. É um grande orgulho porque ele foi o idealizador da Missa do Vaqueiro. Eu, como filho, não posso dar continuidade como padre, mas entregar o terno que ele usou quando criou a Missa do Vaqueiro tem uma importância muito grande. Fico muito gratificado em poder participar desse momento todos os anos e, agora, pela primeira vez, no Recife”, diz.

Um dos momentos mais emocionantes da missa é a oferta simbólica de elementos que representam a figura do vaqueiro, como o chapéu, o gibão e as luvas. Para a fotógrafa Cristiane Souza, ir à Missa do Vaqueiro é um apelo à nostalgia, pois ia à celebração quando era adolescente.

“Viajava a família toda, só tenho lembranças maravilhosas. É muito emocionante essa entrega, o sofrimento do sertanejo. Está sendo diferente por não ser no local, mas está muito bonito”, declara.

Missa do Vaqueiro foi realizada no Recife neste domingo (16) — Foto: Reprodução/TV Globo

Missa do Vaqueiro foi realizada no Recife neste domingo (16)
Foto: Reprodução/ TV Globo

Segundo o secretário de Turismo e Lazer de Pernambuco, Rodrigo Novaes, vaqueiros saíram do Sertão de ônibus e seus cavalos, de caminhão, para a missa no Bairro do Recife. “Vaqueiros devidamente paramentados, com seu gibão, sua perneira, vieram do Sertão para prestigiar esse momento tão especial. Alguns montados, outros não”, diz.

A dona de casa Suely Cesário tem sangue de sertaneja, mas, mesmo assim, nunca tinha visto a Missa do Vaqueiro. “Meu pai era vaqueiro e vim aqui para conhecer a missa e o pessoal. Nunca tive a oportunidade de assistir lá em Serrita”, afirma.

Foto Destacada: Jo Mazzarolo/ TV Globo
>Do G1 PE
>Via Dep. de Jorn. da Orobó FM, (Eraldo Albuquerque -Orobó; Domingo, 16 de Junho de 2019 -21h00m)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>