Brasil vence o Japão nos pênaltis e conquista Torneio de Toulon após 5 anos

Após cinco anos, o Brasil voltou a conquistar o Torneio de Toulon. Depois de empate por 1 a 1 no tempo normal, a seleção olímpica comandada por André Jardine venceu o Japão nos pênaltis (5 a 4) na manhã deste sábado (15), no estádio Marcel Roustan, na França, e faturou a competição pela nona vez – o último título havia sido em 2014.

Antony abriu o placar para o Brasil no começo do jogo, mas Koki Ogawa igualou para os japoneses ainda no primeiro tempo. Nas penalidades, o goleiro Ivan pegou a última cobrança do Japão para garantir o título para a seleção olímpica.

Com o triunfo, o Brasil terminou com sucesso o principal torneio visando a Olimpíada de 2020, em Tóquio. O pré-olímpico será disputado em janeiro do ano que vem, na Colômbia.

O jogo deste sábado marcou o principal desafio da seleção brasileira na competição. Após goleadas sobre França e Guatemala (4 a 0) e Qatar (5 a 0) na fase de grupos, e vitória por 2 a 0 contra a Irlanda na semifinal, o Brasil encontrou um adversário que também vinha de bons resultados na França, incluindo vitória sobre a Inglaterra, que havia faturado as últimas três edições do torneio (2016, 2017 e 2018).

O primeiro tempo terminou em igualdade por 1 a 1 entre as equipes. O Brasil saiu na frente aos 18 minutos, quando Anthony recebeu passe de Matheus Cunha, avançou pela esquerda e bateu cruzado para abrir o placar. O atacante do São Paulo estava em posição duvidosa no momento do passe, mas a arbitragem não marcou o impedimento -vale lembrar que o Torneio de Toulon não conta com o recurso do VAR.

A seleção brasileira controlava bem a partida, mas viu o Japão empatar em um erro individual de Murilo. Após lançamento, o zagueiro cortou mal de cabeça e a bola sobrou para Koki Ogawa soltar uma bomba para igualar. Esse foi o primeiro gol sofrido pelo Brasil na competição.

Na etapa final, o equilíbrio prevaleceu dos dois lados, mas com poucas chances criadas. O Brasil teve dificuldades e não conseguiu retomar a vantagem no placar. O empate levou a disputa para as penalidades. Mateus Vital, Douglas, Matheus Henrique, Wendel e Lyanco converteram as cinco cobranças do time brasileiro. Ivan defendeu a última cobrança de Reo Hatate e garantiu o título.

Antes da decisão em Toulon, o México conquistou o terceiro lugar da competição ao vencer a Irlanda também nos pênaltis. Após empate sem gols no tempo normal, os mexicanos venceram por 4 a 3 nas penalidades.

Curiosamente, o México encerra o torneio sem nenhuma derrota no tempo normal. A equipe terminou a primeira fase com uma vitória e dois empates, e caiu para o Japão na semifinal nos pênaltis.

Solta o grito: é campeão!

BRASIL: Ivan; Emerson (Guga), Lyanco, Murilo e Iago; Douglas, Matheus Henrique e Pedrinho (Mateus Vital); Paulinho, Antony (Wendel) e Matheus Cunha (Pedro). Técnico: André Jardine.

>Da Folha de PE, CBF e Show de Bola da Orobó FM
>Via Dep. de Jorn. da Orobó FM, (Eraldo Albuquerque -Orobó; Sábado, 15 de Junho de 2019 -15h22m)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>