Após novo caso, Brasil perderá status de país livre do sarampo

Agora é oficial: após um ano sem conseguir interromper a transmissão de sarampo, o Brasil irá perder o status de país livre da doença.

A informação foi confirmada pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira (19), após o registro de um novo caso de sarampo no Pará, ocorrido em 23 de fevereiro.

A data indica que a circulação de sarampo já completa mais de um ano no país, o que indica transmissão sustentada do vírus.

Com isso, a previsão é que o país perca o certificado internacional de eliminação da doença. O reconhecimento havia sido concedido pela Opas (Organização Panamericana de Saúde) em 2016. O motivo era o baixo número de casos nos últimos anos, em geral vinculados a surtos importados de outros países.

Com a queda na cobertura vacinal, no entanto, o país voltou a ficar suscetível ao sarampo. Os primeiros registros de um novo avanço da doença ocorreram em fevereiro de 2018, após mais de dois anos sem casos.

Em todo o ano passado, foram confirmados 10.326 casos, distribuídos em 11 estados: Amazonas (9.803), Roraima (361), Pará (79), Rio Grande do Sul (46), Rio de Janeiro (20), Sergipe (4), Pernambuco (4), São Paulo (3), Bahia (3), Rondônia (2) e Distrito Federal (1).

Destes, oito estados já tiveram o surto encerrado, segundo o ministério. Outros três, no entanto, ainda registram transmissão ativa do vírus: Amazonas, Roraima e Pará. De janeiro a março deste ano, foram confirmados 28 casos de sarampo nestes locais.

Com a perda do certificado, o Ministério da Saúde anunciou nesta terça (19) um conjunto de medida para aumentar os índices vacinais, interromper a transmissão e, assim, retomar o status de país livre da doença.

Entre as ações, está a previsão de encaminhar ao Congresso um projeto para aumentar a exigência do certificado de vacinação nas escolas e no serviço militar. A medida, porém, não deve ser impeditiva à matrícula.

O governo também pretende reforçar o monitoramento da vacinação por meio de programas de integração de renda, caso do Bolsa Família, e entre profissionais de saúde.

Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil
>Da Folha de PE
>Via Dep. de Jorn. da Orobó FM, (Eraldo Albuquerque -Orobó; Terça, 19 de Março de 2019 -20h29m)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>