Programa PE no Campus oferece mil bolsas para estudantes de baixa renda em novo edital

O governo de Pernambuco lança nesta segunda-feira (14) o novo edital do programa PE no Campus, com 1 mil bolsas para ajudar estudantes da rede estadual de ensino a ingressar em universidades públicas. As inscrições podem ser feitas a partir da terça (15), exclusivamente pelo site da Secretaria de Educação e Esportes. (Veja vídeo acima)

O edital foi oficialmente lançado pelo governador Paulo Câmara (PSB) em cerimônia no Palácio Campo das Princesas. A primeira das três etapas de inscrição vai até o dia 23 de janeiro.

O auxílio financeiro é de R$ 950 no primeiro ano acadêmico e de R$ 400 no segundo ano na universidade. As quantias são destinadas a ajudar a pagar despesas do curso e de moradia, alimentação e transporte.

“Percebemos que a grande dificuldade dos estudantes é nesses dois primeiros anos. O início é muito difícil, mas depois vêm as oportunidades de estágio e de iniciação científica, que ajudam o aluno financeiramente”, afirma o secretário de Educação e Esportes de Pernambuco, Fred Amâncio.

Para se inscrever, é preciso ter cursado todo o ensino médio na rede pública de ensino e ter concluído há, no máximo, cinco anos. Também é necessário ser atendido pelo Bolsa Família ou ter renda familiar menor do que três salários mínimos e ter residência fixa com distância igual ou maior a 50 km da universidade em que foi aprovado.

Das 1 mil bolsas ofertadas, 900 são para os estudantes que optarem por concorrer por meio da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e outras 100 são para os alunos que desejarem concorrer por meio das notas obtidas nos Sistema Seriado de Avaliação (SSA), da Universidade de Pernambuco (UPE).

Com a possibilidade de ingressar no programa a partir dos dois métodos de avaliação, o PE no Campus também atua na preparação dos estudantes para as duas provas, acredita o secretário.

“É um trabalho de mobilização dos estudantes desde o início do ano. Incentivamos a fazer o Enem, ajudamos a providenciar os documentos, fazemos a preparação ao longo do ano e damos o incentivo quando o aluno vai para a universidade”, afirma Amâncio.

De acordo com o secretário, o programa gerou um aumento no número de estudantes da rede pública de ensino que fazem o Enem. “Quando o programa foi criado, no ano passado, só 40% dos estudantes que concluíam o ensino médio faziam o Enem. Com o lançamento do programa, o número subiu para 70%”, diz.

Estudantes aprovados na primeira seleção do PE no Campus participaram da cerimônia de lançamento do novo edital nesta segunda (14) e agradeceram pela ajuda para custear as despesas.

Aluna de direito da UFPE, Karoline Guerra mora em Santa Cruz do Capibaribe e se mantém no Recife com ajuda da bolsa — Foto: Marina Meireles/G1

“Estudei no ensino médio em Santa Cruz do Capibaribe [no Agreste] e estudar na Universidade Federal de Pernambuco sempre foi um sonho para mim.
Esse era meu sonho e ele foi assegurado quando ganhei a bolsa”,
conta a aluna de direito Karoline Guerra.

“Estudei no ensino médio em Santa Cruz do Capibaribe [no Agreste] e estudar na Universidade Federal de Pernambuco sempre foi um sonho para mim. Esse era meu sonho e ele foi assegurado quando ganhei a bolsa”, conta a aluna de direito Karoline Guerra.

Morador de Timbaúba, o estudante Luiz Lourenço foi aprovado na Universidade de São Paulo (USP), onde também estuda direito e recebe mensalmente o valor da bolsa para custear as despesas na nossa casa nova.

“Tenho um custo mensal de R$ 1,5 mil, em média, por mês. Meus pais ajudam com o aluguel e eu vou começar nesse ano um projeto de iniciação científica, então mesmo com o valor menor da bolsa, vou ganhar mais uma ajuda”, diz Luiz.

“O trabalho é contínuo, temos muito o que melhorar. Temos sempre que motivar o professor a ensinar e o aluno a aprender. Essa é uma das formas que encontramos”, afirma o governador Paulo Câmara.

PE no Campus prevê apoio financeirto para estudantes que vão cursar o ensino superior — Foto: Katherine Coutinho/G1

PE no Campus prevê apoio financeirto para estudantes que vão cursar o ensino superior — Foto: Katherine Coutinho/G1

Etapas

A inscrição para o programa conta com três etapas. A primeira, que vai até o dia 23 de janeiro, consiste no preenchimento de dados como CPF, comprovante de residência e nota no Enem e do Sistema Seriado de Avaliação. O critério de seleção adotado pela SEE é a nota do candidato.

A segunda fase da seleção consiste na escolha dos cursos no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). As inscrições podem ser feitas de 28 de janeiro a 1° de fevereiro. Nessa fase, será analisada a renda da família do candidato, a distância entre a universidade e a residência do estudante, que precisa ser igual ou superior a 50 quilômetros para que o candidato se encaixe no critério do PE no Campus.

A última etapa é o cadastro do comprovante de matrícula da universidade, que deve ser feito de 12 a 18 de fevereiro. A previsão é de que o resultado final do processo seja divulgado no dia 22 de fevereiro.

Caso as vagas não sejam preenchidas em sua totalidade, será aberto novo processo seletivo até que as 1 mil bolsas sejam entregues aos estudantes. O início da convocação das listas de espera também acontece no dia 22 de fevereiro.

“Para receber a bolsa, o candidato precisa se manter matriculado na universidade. Não há critério de notas dentro da universidade, mas caso o aluno tranque o curso, vai perder a bolsa”, explica Fred Amâncio.

Foto Destacada: Marina Meireles/ G1
>Do G1 PE
>Via Dep. de Jorn. da Orobó FM, (Eraldo Albuquerque -Orobó; Segunda, 14 de Janeiro de 2019 -11h22m)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>