Mulher de 53 anos é primeira vítima fatal de dengue este ano em Pernambuco

Uma mulher de 53 anos, com doença mental e moradora do bairro de Jardim Paulista, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR), foi a primeira pernambucana com confirmação de morte por arbovirose este ano. O diagnóstico foi de dengue. Ainda há 35 óbitos sendo investigados em todo o Estado. No total, 42 casos de morte por suspeita de dengue, zika e chikungunya foram notificados este ano, mas seis já foram descartados. A notificação do caso de Paulista como suspeito ocorreu há cerca de cinco meses. Boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (13) pelo Ministério da Saúde aponta que 77 pessoas morreram este ano no país após contraírem a dengue. Pelo menos outros 181 óbitos estão sendo investigados pela pasta como suspeitos.

Segundo o superintendente de Vigilância em Saúde de Paulista,Fábio Diogo, a mulher teve sintomas de febre e manchas vermelhas pelo corpo no dia 15 de fevereiro, buscou socorro médico no dia 20 do mesmo mês e faleceu no dia seguinte (21), no Hospital Miguel Arraes (HMA). Fábio Diogo informou que, além do quadro clínico compatível, a paciente teve confirmação laboratorial para o vírus da dengue. 

Fábio Diogo contou que o município ainda apura o óbito de mais duas pessoas que podem ter falecido em decorrência de infecções por arbovírus. A coordenadora do Programa de Controle das Arboviroses da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Claudenice Pontes, comentou que houve uma ampliação no rito de investigação das mortes suspeitas e, por isso, o processo de confirmação dos óbitos está mais demorado. 

“A gente viu uma necessidade de entender todo o percurso do paciente. Então, ampliamos a investigação. Hoje a gente não só investiga onde ocorreu o óbito, mas vai investigar desde o início dos sintomas”, justificou. Ela explicou que essa triagem inicial é de responsabilidade dos municípios e só depois é aberta a discussão do caso com participação de infectologistas. “Está demorando mais um pouco porque estamos detalhando mais”, reforçou. No ano passado, no mesmo período analisado (janeiro até 7 de julho), houve a comunicação de 72 mortes suspeitas. Seis foram confirmadas, sendo cinco de dengue e uma de chikungunya. 

Pernambuco
Até o momento, Pernambuco tem 13.006 notificações de dengue, sendo 2.786 confirmações. A doença registra aumento de quadros suspeitos na ordem de 17,3% na comparação com 2017. Sobre chikungunya são 1.647notificações e 235 confirmações. Em relação ao zika, os números são de 486 notificações e 27 confirmações. 

Um dos fatores que preocupa em relação a uma possível escalada das arboviroses ainda este ano é o alto número de cidades com elevada densidade de mosquitos. Segundo o Índice de Infestação Predial do 3º ciclo do Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), 84 municípios estão em situação de risco de surto e 82 em situação de alerta. “São 166 cidades com risco de transmissão, sendo 84 com perigo de surto. Isso, realmente é preocupante. Temos os três vírus circulando, temos casos confirmados e temos mosquito. Então, o risco de epidemia existe”, alertou. Um novo ciclo do LIRAa será iniciado pelas cidades este mês. 

Grávidas

0Até o último dia 7, 223 gestantes que apresentaram sinais suspeitos de arboviroses foram notificadas pelas unidades de saúde à SES. Destas, 44 tiveram resultados laboratoriais para dengue como infecção recente. Para chikungunya, 14 grávidas positivaram. Em relação aos casos de zika, já são oito exames positivos.

>Da Folha de PE
>Via Dep. de Jorn. da Orobó FM, (Eraldo Albuquerque -Orobó; Sexta, 13 de Julho de 2018 -21h11m)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>