Santa Cruz deixa vitória escapar e empata em 2×2

Parecia que o fator Arruda, tão desprezado no início da temporada 2016, finalmente iria interferir positivamente em favor do Santa Cruz. Mesmo após sair atrás do marcador, nesta quarta-feira, pela primeira partida da Semifinal da Copa do Nordeste, os corais demonstraram um futebol aguerrido, com posse de bola e presença ofensiva superior, e até conseguiram a virada no placar. Mas antes do final da partida, um gol do Bahia fez o 2×2 que mudou todo o cenário para o jogo da volta, em Salvador, no próximo domingo.

Foi preciso um gol do Bahia. O cronômetro já passava dos 19 minutos do primeiro tempo, quando Tiago Cardoso deu rebote após chute de Danilo Pires, e Hernane Brocador apareceu para abrir o placar. Intervalo de tempo que com certeza deixou impaciente o pouco número de torcedores que estavam nas arquibancadas do Arruda. E ser vazado, nesta fase da Copa do Nordeste, não é nada favorável para mandante algum na competição. Mas se serve de alento, foi a partir do momento narrado que o Santa Cruz acordou no jogo.

Tudo mudou. A posse de bola da equipe pernambucana atingiu picos de 63% e a presença coral no campo de defesa baiana foi intensificada. Mas faltava a efetividade, apesar de poucas chances terem sido criadas – evidente pela postura defensiva do Bahia. Mesmo assim, três lances em sequência fazia o cenário se aproximar muito mais de um empate que da ampliação da vantagem adversária. Foi uma oportunidade desperdiçada por Keno, outra com Lelê e a terceira com Grafite. Já era mais que merecido o gol coral.

A espera foi grande, mas antes de o primeiro tempo terminar, a explosão coral finalmente aconteceu. Aos 45 minutos, o atacante Keno se livrou de três marcadores, levou para o meio e colocou com muita categoria no canto oposto de Marcelo Lomba. Um golaço. Tento que fez permanecer a postura agressiva da equipe, mesmo depois do intervalo. Na volta para o segundo tempo, a pressão coral não cessou. E foram necessários 12 minutos de etapa complementar. João Paulo fez o domínio dentro da área, e a bola acabou escapando para Grafite. O centroavante driblou Marcelo Lomba e manda para o fundo das redes.

Mais uma vez, um gol fez o ritmo do Santa Cruz no jogo ser modificado. Com a vantagem ao lado, os comandados do técnico Milton Mendes passaram controlar a partida conforme as suas pretensões. O ímpeto diminuiu. Já o Bahia, ciente que poderia se expor muito e acabar deixando ser dilatada ainda mais a desvantagem, preferiu se precaver. Até que antes do final do jogo, os adversários baianos encontraram um pênalti, durante uma jogada de bola parada. Aos 38 minutos, Luizinho foi para a cobrança e colocou água no chope coral.

FICHA DE JOGO

-Santa Cruz
Tiago Cardoso; Vitor, Neris, Danny Morais e Allan Vieira (Tiago Costa); Uillian Correia, João Paulo e Lelê; Arthur, Keno (Daniel Costa) e Grafite. Técnico: Milton Mendes.
-Bahia
Marcelo Lomba; Hayner, Lucas Fonseca (Robson), Eder e João Paulo; Feijão, Danilo Pires e Juninho; Edigar Junio (Luizinho), Hernane (Zé Roberto) e Thiago Ribeiro. Técnico: Doriva.
-Gols
Hernane (B) (aos 19 do 1ºT), Keno (SC) (aos 45 do 1ºT), Grafite (SC) (aos 12 do 2ºT), Luizinho (pen) (B) (aos 38 do 2ºT).
-Cartões amarelos
Danny Morais, Lelê, Tiago Costa (Santa Cruz); Lucas Fonseca, Robson (Bahia).
-Cartão vermelho
Lelê (Santa Cruz).
-Público
12.737
-Renda
R$ 197.615,00
-Árbitro
Cláudio Francisco Lima e Silva (SE).
-Assistentes
Rodrigo Guimarães Pereira e Eric Nunes Costa (ambos de SE).
-Local
Estádio do Arruda, no Recife.

—-

>Da Folha de PE e Show de Bola da Orobó FM
>Via Dep. de Jorn. da Orobó FM, (Eraldo Albuquerque -Orobó; Quinta, 14 de Abril 2016 -00h01m)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>