Em dia de homenagens a Ariano Suassuna, Sport vence o Atlético-MG e segue rondando o G4

Em vida, o torcedor mais ilustre do Sport costumava repetir com orgulho: “sou pé quente.”  Falecido na última quarta-feira, o escritor Ariano Suassuna se foi, mas a sorte dele ao clube do coração continua como as suas obras: firme e forte. Em tarde que começou com homenagens póstumas, o Leão venceu o Atlético-MG, por 2 a 1, na Ilha do Retiro. Resumidamente, como diria um dos persongens mais famosos do livro o Auto da Compadecida, o Galo atacou e atacou, mas no fim das contas o Sport foi lá e fez os gols. “Só sei que foi assim”, diria Chicó.

Cada atleta do Sport levou o nome de um persongem das obras de Ariano nas costas. Os gols da vitória do Leão, então, foram marcados por “Eurico” e “Severino” – ou, na verdade, Felipe Azevedo e Durval. Diego Tardelli descontou no fim do jogo de pênalti. Com a vitória, o time do técnico Eduardo Baptista chegou aos 21 pontos e se manteve na parte de cima da tabela, colado ao G4. O Sport agora volta a campo somente no próximo domingo, para enfrentar o Figueirense, em Santa Catarina.

O JOGO

A proposta do Sport foi cosciente. Humilde, o técnico Eduardo Baptista armou duas linhas de quatro e cinco jogadores á frente da zaga. Neto Baiano “isolado” no ataque. Consciente das limitações técnicas diante de um adversário forte, o Leão não exitou em jogar nos contra-ataques mesmo dentro de casa. E no primeiro tempo, apesar do domínio mineiro durante quase todos os 45 minutos, a estratégia por muito pouco não deu a vitória parcial aos rubro-negros.

Fechado, o sistema defensivo não dava brechas para o Galo. A bola batia e voltava. O Sport até tinha as chances nos contra-ataque, mas esbarrava nos lançamentos errados. Em um das subidas, acabou cedendo ao adversário a principal arma: o contra-ataque. Aos 25, Leandro
Donizete lança Tardelli que, de cara com Magrão, esbarrou no paredão leonino. O Leão suportou bem a pressão e nos minutos finais não balançou as redes por milagre. Em cinco minutos, o time fez tudo o que não tinha feito ainda no jogo. Pressão total. Neto Baiano, Felipe Azevedo e Zé Mário perdeu cada um a sua clara chance de gol.

A pressão no fim da etapa inicial deu moral para o Sport. O time sentiu que poderia ir além e adotou uma postura mais ofensiva no segundo tempo. Mais arisco, logo abriu o placar. Aos 6, Durval fez grande lançamento para Felipe Azevedo, que dominou e mandou para as redes. Aos 23, o segundo. Na raça, Durval ganhou pelo alto, na briga, cai e deitado manda de canhota para o gol. Aos 39, Tardelli sofreu pênalti. Ele mesmo foi para a cobrança e diminuiu o placar. Fechado, o Sport segurou o “abafa” dos mineiros e garantiu a sexta vitória na competição. 

FICHA DO JOGO

SPORT
Magrão; Vitor, Ewerton Páscoa (Oswaldo – intervalo), Durval e Renê; Ronaldo (Willian – aos 32’ do 2ºT), Wendel, Zé Mário (Ailton – aos 20’ do 2ºT), Danilo e Felipe Azevedo; Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista.
ATLÉTICO-MG

Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Réver e Emerson Conceição; Pierre, Leandro Donizete, Maicosuel (Dátolo – aos 19’ do 2ºT), Guilherme e Diego Tardelli; Jô (Luan – aos 18’ do 2ºT).Técnico: Levir Culpi.
GOLS
Felipe Azevedo (Sort) (aos 6’ do 2ºT) e Durval (Sport) (aos 23’ do 2ºT); Diego Tardelli (A-MG) (aos 39’ do 2ºT).

CARTÕES AMARELOS
Leonardo Silva (aos 8’ do 2ºT), Victor (aos 10’ do 2ºT). (A-MG).
PÚBLICO
17.575.
RENDA
R$ 304.320.

ÁRBITRO
Thiago Duarte Peixoto (SP).

ASSISTENTES
Vicente Romano Neto (SP) e Fábio Rogério Baesteiro (SP).

LOCAL
Ilha do Retiro, no Recife.

>Do Diario de PE Show de Bola da Orobó FM
>Via Dep. de Jorn. da Orobó FM, (Eraldo Albuquerque -Orobó; Domingo, 27 de Julho de 2014 -19h11m)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>